Imposto de Renda

Imposto de Renda: dicas práticas para aumentar a restituição

Imposto de Renda: dicas práticas para aumentar a restituição

A hora de declarar o Imposto de Renda chegou. Em pleno período de declaração, muitas pessoas querem saber como é possível aumentar a restituição para não perder dinheiro. Se é o seu caso, continue lendo o artigo até o final e fique por dentro de dicas práticas que irão garantir essa missão.

 

Como funciona a restituição do Imposto de Renda

Em primeiro lugar, vale lembrar que o Imposto de Renda é um tributo cobrado pelo governo sobre a renda anual de algumas pessoas físicas e jurídicas. Sendo assim, quem se enquadra nas condições determinadas pelo governo, todo ano deve fazer a declaração com base no ano anterior.

Após os contribuintes fazerem a declaração informando seus rendimentos, despesas, investimentos e outras informações solicitadas, acontece um processamento. Assim, a Receita Federal verifica os dados informados e confere se há alguma inconsistência ou erro na declaração.

Por isso, é importante que o contribuinte faça a declaração com calma e conhecimento para evitar erros. Se o contribuinte cometer algum erro na declaração, o órgão responsável pode suspender ou até mesmo cancelar a restituição.

Caso o contribuinte tenha pago mais imposto do que o devido, ele terá direito à restituição. A Receita Federal irá calcular o valor da restituição e depositará na conta bancária informada pelo contribuinte na declaração.

Por fim, é importante ficar atento ao calendário de restituição do Imposto de Renda, que varia de acordo com a data de envio da declaração. Para conferir a data em que a sua restituição acontecerá, leia nosso artigo sobre o calendário da restituição.

 

Como aumentar a restituição

Agora que você entendeu melhor como funciona o processo para a restituição, é hora de aprender como aumentá-la para não perder dinheiro de volta na sua conta. Nesse sentido, a realidade é que não deixar gastos de fora na hora da declaração ajudará a que você tenha chances maiores de uma restituição mais alta.

Para começar, inclua todos os famosos gastos “dedutíveis”. Esses gastos são as despesas consideradas necessárias à atividade do contribuinte ou à manutenção de sua subsistência e da sua família.

Então, você pode considerar como despesas dedutíveis, por exemplo, gastos com saúde ou educação, pensão alimentícia, contribuições para a previdência, entre outros. No entanto, cada categoria tem limites e condições específicas para serem consideradas dedutíveis. 

Por isso, é importante que o contribuinte consulte antes as instruções da Receita Federal para garantir que está declarando corretamente seus gastos e aproveitando as deduções a que tem direito.

 

Dicas práticas para aumentar a restituição do IR

Agora você já sabe que deve incluir todos os gastos que forem dedutíveis. Portanto, vamos conhecer algumas dicas que, se colocadas em prática, irão colaborar para o aumento da restituição do seu Imposto de Renda.

Declare seus gastos em educação

Não deixar de fora todos os gastos tidos com educação durante o ano anterior é uma boa forma de aumentar a sua restituição. Vale destacar que essas despesas não se aplicam apenas ao titular, como também a todos os dependentes.

Por outro lado, só serão admitidos valores destinados à educação formal, ou seja, ensino médio, ensino superior, pós-graduação, mestrado e doutorado. Cursos livres ou técnicos, normalmente, não estão inclusos para restituições.

Informe seus gastos com saúde

Despesas na área da saúde costumam ser altamente dedutíveis. O motivo é que, a diferença de outras categorias como educação, as despesas médicas não contam ter um limite de dedução.  

Então, não deixe de incluir todos os seus gastos com profissionais da área como dentistas, psicólogos ou médico clínico. Também entram os valores destinados a planos de saúde, mesmo que você pague de forma particular ou seja pago pela empresa onde trabalha. 

Inclua os gastos dos seus dependentes

Se você não incluir os gastos dos seus dependentes na sua declaração do Imposto de Renda, estará perdendo dinheiro. São considerados dependentes filhos até os 21 anos de idade, cônjuge, irmãos, netos, bisnetos, pais, avós, bisavós, sogros, entre outros.

Opte por uma declaração do Imposto de Renda em conjunto

Existe a possibilidade de declarar junto com outra pessoa para aumentar a restituição do IR. Neste caso, um será o titular e o outro o dependente e os gastos dedutíveis de cada um serão somados.

Essa opção vale apenas para cônjuges (casados legalmente ou com 5 anos de união estável) ou pessoas com filhos em comum. O mais indicado é fazer uma simulação para entender se o melhor caminho é realizar a declaração conjunta ou separada.

Comprove o pagamento de pensão alimentícia

Os pais que pagam pensão alimentícia para seus filhos devem incluir a despesa na hora da declaração desde que consigam comprovar o pagamento. Para que a pensão seja considerada válida na declaração deve existir um acordo judicial que a determine.

Declare gastos destinados à previdência no seu Imposto de Renda

Quem investe em previdência privada no Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e declara Imposto de Renda anualmente, terá direito à restituição. No entanto, a modalidade Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não conta dentro do cálculo.

Trabalhadores autônomos e empresas contam com condições especiais. Sendo assim, vale a pena conferir as regras de acordo com a sua condição para não deixar de declarar nenhuma despesa dedutível.

Esperamos que as dicas sejam realmente práticas e você possa aumentar a restituição do seu Imposto de Renda. Para finalizar, se você tem despesas com educação para declarar, sugerimos a leitura do artigo Como declarar instituições de ensino no IR para ter dedução.

 

 

 

Referências:

IR: Confira oito dicas para aumentar Restituição do Imposto de Renda – Rede Jornal Contábil (jornalcontabil.com.br)